Lesões do Esporte
Rompimento de Ligamento Cruzado Anterior.
A lesão que preocupa os jogadores de futebol.

O Joelho possui uma articulação formada por 3 elementos ósseos: o fêmur, a tíbia e a patela (antigamente conhecida como rótula). Em decorrência da solicitação deste segmento corporal nas atividades de vida (sentar-se, levantar-se), nas atividades desportivas (futebol, corrida), nas atividades relacionadas ao trabalho (ocupacionais), na sustentação do corpo, entre outras, observa-se um grande número de queixas envolvendo esta articulação.

O ligamento cruzado anterior (LCA) está localizado na parte central da cápsula articular do joelho. Durante a flexão o feixe antero-medial tensiona-se e o feixe póstero-lateral relaxa, sendo que esse processo é invertido durante a extensão do joelho. O LCA é um restritor primário do joelho e sua principal função é impedir a translação anterior da tíbia em relação ao fêmur. O mecanismo de lesão do LCA ocorre, geralmente, por um trauma súbito, com rotação de joelho estando com o pé fixo no chão, gerando um stress suficientemente grande para ocorrer ruptura total ou parcial do ligamento.

O diagnóstico correto de lesão ligamentar pode ser verificado por meio de uma anamnese e exame físico detalhado. Também são feitos alguns testes especiais para comprovar a lesão. Os testes mais conhecidos para LCA são: o de Lachman, o de Gaveta Anterior e Pivot Shift. Exames como radiografia e ressonância magnética auxiliam na comprovação da lesão ou fraturas no joelho. Uma deficiência do LCA permite o desenvolvimento de condutas baseadas em métodos operatórios e não operatórios para o tratamento.

O método conservador deve ser iniciado o mais rápido possivel, evitando a a dor e a inflamação, restabelecendo amplitude de movimento e controle muscular contra novas agressões (recomendado a crioterapia, exercícios de flexo-extensão de joelho assistidos, alongamentos musculares e uso de muletas para descarga parcial de peso). Na fase crônica o início do tratamento é realizado apos atingir as metas anteriores e inclui: treinamento muscular (cadeia cinetica aberta e fechada), treinamento neuro muscular (proprioceptivo) e melhora da habilidade motora.

Já no tratamento pós cirúrgico o objetivo da fisioterapia, na maioria dos casos, será o de controlar a dor e edema, melhorar a amplitude de movimento, impedir a atrofia muscular e iniciar precocemente a marcha. Depois incluir a melhora de força muscular, da propriocepção, de equilíbrio, agilidade e exercícios específicos para o esporte. Eles devem ser realizados para fornecer um excelente retorno às atividades de vida bem como esportivas.

Um grande abraço,

João Paulo de Andrade Alarcão. Educador Físico e Fisioterapeuta.

E-mail: jpalarcao@yahoo.com.br

Escrito por João Paulo de Andrade Alarcão em 24/07/2008 - 21:13:24
Comentários

Nenhum comentário ainda.

Últimas matérias
1
PERSONAL SAMBA APRENDA EM CASA O SAMBA NO PÉ E ARRASE NO...
2
FS 7 - Fascia Stretching Training 7 O mais comentado treino da atualidade...
3
Stomach Vacuum, a técnica esquecida. Abdome mais sarado com um exercício muito...
4
Plataformas Vibratória Muitas Promessas, mas funcionam?
5
African Dance vira febre nas Melhores... Vários trabalhos físicos é realizado com...
 
© Copyright 2003 - 2008 Web Academia, todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial.